Os riscos dos solários

O número de pessoas que opta pelo bronzeamento artificial, recorrendo a solários aumenta de ano para ano, ganhando cada vez mais adeptos, também do sexo masculino. Ter uma pele bronzeada todo o ano ou naquelas primeiras idas à praia pode ser aliciante para a maioria das pessoas, mas os riscos associados à utilização de solários são elevadíssimos. Se ponderou recorrer a um solário mas ainda tem algumas dúvidas, fique a conhecer quais os riscos do bronzeamento artificial para a sua saúde.Os riscos dos solários

Como funciona o solário?

Embora possam parecer mágicos, os solários consistem apenas em câmaras que emitem radiação ultravioleta. Cada câmara é composta por lâmpadas especiais que emitem a radiação, estimulando a produção de melanina, o pigmento que dá cor à pele. Na prática o processo de bronzeamento acontece de forma mais rápida e, ao contrário do recurso a cremes autobronzeadores ou bronzeamento através de spray que podem dar um ar artificial, os solários proporcionam um bronzeado de aspeto natural, pois atuam de forma semelhante à dos raios solares. Cada sessão dura em média 10 minutos e não são necessárias muitas sessões para obter um resultado satisfatório.

Quais os riscos dos solários para a saúde?

Os defensores dos solários referem frequentemente os benefícios da sua utilização como o aumento da absorção de vitamina D ou a prevenção da osteoporose, mas é sabido que os riscos para a saúde são maiores que as vantagens. O principal risco é sem dúvida o surgimento do melanoma ou cancro de pele. Cerca de 30 sessões por ano são tão prejudiciais para a saúde como 100 escaldões. E apenas 10 sessões aumentam oito vezes a probabilidade de desenvolver cancro.

O solário é de tal forma forte que os efeitos da exposição surgem em poucos anos, enquanto que o melanoma provocado pela exposição ao sol se manifesta apenas após 20 ou mais. Outra desvantagem do solário é o envelhecimento precoce da pele, com perda de elasticidade e aumento das rugas. As radiações ultravioletas podem ainda ter efeitos sobre os olhos, como a inflamação da córnea.

O que deve ter em conta?

Se realmente decidir recorrer a um solário, mesmo estando a par do quão prejudicial pode ser para a sua saúde, então deve ter em conta se o local está certificado. As lâmpadas das câmaras devem ser mudadas ao fim de determinado número de horas de utilização, pois após esse tempo tornam-se ainda mais prejudiciais para a pele. Em locais não certificados é comum esta regra não ser cumprida, e outros aspetos serem negligenciados, como a validade dos cremes protetores ou a presença de um técnico para aconselhar e supervisionar.

Em Portugal é proibida a utilização das câmaras por menores de 18 anos e por grávidas. Use sempre protetor solar de fator elevado, óculos de proteção e numa exceda o tempo de sessão que lhe foi aconselhado. O recurso a bronzeamento artificial é ainda desaconselhado a pessoas com pele pertencente aos fototipos I e II (que se queimam mas dificilmente se bronzeiam), com lesões cutâneas, elevado número de sinais ou fotossensibilidade.

3 Responses: “Os riscos dos solários”

  1. João Mendes diz:

    Por ser Médico resolvo contraditar o que é dito na peça.
    Em primeiro lugar, e estamos a falar de centros de bronzeamneto certificados e que por Lei têm de ter expostos essas certificações.
    Ma Lei não existem qualquer recomendação para não utilizar solário, antes regulamenta a utilização para a segurança total dos solários.
    Com os modernos solários não há contraindicação para os fotótipos 1 e 2.. Tem é o tempo de exposição ser mais reduzido (4 min) e o creme protector ser dos graus mais elevados. Mesmo na praia a pessoa com um fototipo 1 bronzeia sem queimar se tiver os cuidados adequados, como é óbvio. Os solários claro que não são mágicos mas tem potencialidades muito superiores á exposição solar. Em 1º lugar o nível raios UBV e UVA é constante, não varia em função da nebulosidade, do vento, da maior ou menor grau de sombra ou vestuário. Em 2º lugar o tempo de exposição é rigoroso, pelo que mesmo que a pessoa adormeça na máquina, ela desliga automaticamente no fim do programa eplo que a pessoa pode continuara dormir que não recebe radiação.
    Quanto aos olhos e mamilos é obrigatório uma protecção física, pelo que não há danos para esses órgãos.
    Quanto ao envelhecimento da pele há numerosos factores que a condicionam como a genética, a alimentação e também exposição desregulada ao Sol. Precisamente porque a exposição nos solários é controlada, contribui ao contrário para um rejuvenescimento da pele dando-lhe um aspecto sadio que se sente pela visão e pelo toque.
    Quanto ao risco de cancro está minimizado. Porque as sessões são reguladas, porque antes de cada sessão há uma avaliação técnica do estado da pele e caso haja algum sinal de suspeita o cliente é de imediadto encaminhado para o Dermatologista, só podendo retomar as sessões com o consentimento escrito do mesmo.
    Há só uma verdade no artigo da Mulher Completa – quem tem fotossensibilidade não pode fazer solário… nem expor-se ao sol. Mas mesmo aqui há a possibilidade de reverter a situação se essa fotossensibilidade for secundária á utilização de um medicamento, alimento ou outra exposição qualquer.
    Por hoje é tudo. Se tiverem dúvidas é favor utilizar o Mail.
    Obrigado pela V. atenção
    João >Mendes

Faça o seu comentário

Powered by WordPress | Designed by: best suv | Thanks to trucks, infiniti suv and toyota suv